14 outubro 2008

Categoria: pessoas com cabeça de animais

Na publicidade nós vemos muitas coincidências de ideias, plágios e também o que podemos chamar de "categorias". E não são as categorias de premiação como filme, impresso, internet, etc. mas das ideias, como: as que têm multidão (leia aqui), as non-sense, dramáticas, visuais, com mascotes, musiquinhas e por aí vai. Umas pequenas "fórmulas" de criação.

Digo isso porque recentemente me enviaram um comercial que chamou muito a minha atenção, não pela criatividade e sim pela bizarrice.

O filme é para uma ONG de defesa dos animais chamada Animal Protection Amsterdam. Conta a história de uma família que vai levar seu animal de estimação, acidentado, ao veterinário. Acontece que trocaram os papéis. Veja como é:



Tudo bem que o objetivo é conscientizar o espectador colocando no lugar do gatinho, uma menina de verdade. Mas as pessoas com cara de gato...hum... Ficou bem esquisito.

Este recurso, como já havia dito no post do Leão da Nextel, fica melhor quando busca-se o humor. Passar dramaticidade não fica tão bem.

Separei, também, este anúncio do Greenpeace, completamente bizarro. Nele a gente vê a humanidade condenada a ficar com cara de peixe caso não pare com as alterações climáticas.


Não estou aqui para generalizar. Deve ter um ou outro anúncio que ficou bom. Não consigo lembrar de nenhum. Se alguém souber me avise.

Em compensação Spike Jonze mandou muito bem neste videoclipe do Daft Punk. O protagonista no caso tem cara de cão.



Para um videoclipe já fica mais adequado, não acham?

5 comentários:

GuiCury disse...

Esse comercial tem uma fórmula muito antiga, não?
Abrasss

Jonathan Benarrós disse...

Verdade Gui Cury. Mas o que é antigo pode ser usado também, apenas tem que ser bom pra caramba. é o que complica.

Jorge Eduardo disse...

realmente Ad Me horrível!!!

Sabrina disse...

Ahhh eu gostei do comercial dos gatinhos.

Manoela disse...

gostei mto do comercial, ah se as pessoas se colocassem no lugar dos animais sempre!